terça-feira, maio 26, 2009

VER

Helen Keller, cega e surda desde bebê, há setenta anos, escreveu um ensaio que a revista seleções publicou e diz mais ou menos assim:
Às vezes o meu coração anseia por ver tudo aquilo que só conheço pelo tato. Se eu consigo tanto prazer com um simples toque, quanta beleza poderia ser revelada pela visão! E imaginei o que mais gostaria de ver se pudesse enxergar, digamos, por apenas três dias.
O primeiro dia seria muito ocupado. Eu reuniria todos os meus amigos queridos e olharia seus rostos por muito tempo, imprimindo em minha mente as provas exteriores da beleza que existe dentro deles.
Também fixaria os olhos no rosto de um bebê, para poder ter a visão da beleza ansiosa e inocente. E gostaria de olhar nos olhos fiéis e confiantes de meus dois cães.
À tarde daria um longo passeio pela floresta, contagiando meus olhos com as belezas da natureza. E rezaria pela glória de um pôr de sol colorido.
Creio que nessa noite não conseguiria dormir.
No dia seguinte eu me levantaria ao amanhecer para assistir ao empolgante milagre da noite se transformando em dia.
Contemplaria, assombrada, o magnífico panorama de luz com que o sol desperta a terra adormecida.
Como gostaria de ver o desfile do progresso do homem, visitaria os museus.
Tentaria sondar a alma do homem por meio de sua arte.
Veria então o que conheci pelo tato. Todo o magnífico mundo da pintura me seria apresentado.
A noite de meu segundo dia seria passada no teatro ou no cinema.
No terceiro dia, a cidade seria meu destino. Iria aos bairros pobres, às fábricas, aos parques onde as crianças brincam. Viajaria pelo mundo visitando os bairros estrangeiros.
E meus olhos estariam sempre abertos tanto para as cenas de felicidade quanto para as de tristeza, de modo que eu pudesse descobrir como as pessoas vivem e trabalham, e compreendê-las melhor.
À meia-noite, uma escuridão permanente outra vez se cerraria sobre mim.
Claro, nesses três curtos dias eu não teria visto tudo que queria ver.
Só quando as trevas descessem de novo é que me daria conta do quanto eu deixara de apreciar.
***
Usem seus olhos como se amanhã fossem perder a visão. E o mesmo se aplica aos outros sentidos.

13 comentários:

Secreta disse...

Usar todos os nossos sentidos , explora-los ao máximo ... pois só assim faz sentido.

Palma da Mão disse...

Impressionante, talvez seja mesmo isso damos mais importância a uns sentidos do que outros, em vez de tentar-mos encontrar um estado de harmonia...
Lindo!
Beijinhos
Liliana

SAM disse...

Emocionei-me pela maravilhosa visão da sua alma.É o que dá sentido a todos os nossos sentidos.


Beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Os olhos são a janela da alma.

beijooo.

Princesa disse...

Essa plantinha é chamada de AMIZADE!

Você deve regá-la dia após dia, com palavras de Carinho
e Sinceridade adubá-la com Respeito e Dedicação e
deixar que o sol do amanhecer ilumine e
aqueça suas raízes para que ela possa
crescer sempre forte e bonita!

Vivian disse...

...amei estar aqui agradecendo
sua doce visita lá em casa,
e é claro me encantei com o
bom gosto e sensibilidade
dos posts.

você é um lindo!

vou te seguir...

bjbj

εïз εïз Doce Essencia εïз εïз disse...

Bom Dia Cavalheiro

Um lindo post.
O que seria de nos sem esses sentidos que nos aproxima da realidade ? E faremos cada um de nós o mais poderoso de todos os sentidos:

"O TaTo"

Contato que nos aproxima,ainda que msm estando a grandes distancias...

Lindo...parabens pelo blogger e obrigada por ser mais um acompanhante de meu Jardim de Borboletas...
Aguardo vc para conhecer as novidade do jardim...

Doces Beijos

Doce Essencia

huga kati disse...

Amei o texto! usar bem todos os sentidos e viver cada momento com se fosse o ultimo.
bj

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Bela lembrança!

Deveríamos viver como se amanhã fôssemos perder a vida!!!

Seu blog é excelente!!!

Um beijo!Sonia Regina.

* Leticia * disse...

Deixamos passar tudo aquilo que poderia nos ser tão forte pois achamos que teremos a oportunidade de ver novamente o que não foi visto com tanto glamour!
comparo isso com o leve e delicado som de uma orquestra sinfonica!
deve-se apreciar cada nota que entra pelos ouvidos pois quando a musica acaba e a ultima nota entra e sai bruscamente, esuqce-se de como era e perde-se o dom de ouvir com o arrepio da pele, fica apenas na mente! depois é so a escuridão!
lindo texto!!
beijoss

Maria Anjos Varanda disse...

impressionante...
Deviamos dar mais valor ao que temos.....

Beijos

Helô Müller disse...

Que maravilhosa mensagem !! Obrigada pela oportunidade de tê-la lido, Xabonas !
Um belo domingo pra ti !
Beijos sentidos !!
Helô

Iana disse...

Bem neste texto fiquei sem palavras mesmo tendo tanto pra falar... Deu-me um nó na garganta sem tamanho!

Muitos teem visão e vivem no mundo de ilusão, cegos na "alma" e a vida passa despercebida ao lado.

Beijos da rosa amiga
Iana!!!